WordPress Theme

Dra. Claudia Dal Maso Lino - OAB/SP-87.669 - Rua Apotribú, 139 conj. 84 (Próximo ao metrô Saúde)    
Telefone/Fax:
(11) 5585-9714 | Cel.: 97575-5530(VIVO) | 98738-0102 (TIM)

Artigos

Gestão de conflitos benefício para empresas.

Atualmente se faz imprescindível uma forma mais eficiente, celebre e eficaz na gestão dos conflitos nosnegócios e nas empresas, principalmente em face da globalização, as pessoas estão cada vez mais próximas e exigem respostas imediatas e oportunas nas organizações, onde no panorama empresarial existem conexões infinitas e inusitadas, alta competitividade que estimula a concorrência, complexidade das interrelações momentâneas e duradouras e geração de conflitos cada vez mais diversos.

Os conflitos nas empresas são provenientes das:

a) disputas: Produto do conflito não resolvido, com partes internas ou com terceiros ex: demandas legais, ações disciplinares;desacordos;ameaças);

b) sabotagem: Na linguagem popular, “puxar o tapete”, verifica-se nos conflitos internos e externos. por exemplo, o cliente diz que está tudo bem e, sem aviso prévio ingressa com ação judicial pedindo grande soma em dinheiro e a sabotagem é muito comum também nas empresas familiares); 

c) ineficiência/falta de produtividade:Por exemplo. trabalho lento,baixa produção, não colaboração com a equipe de trabalho); 

d) baixa alto-estima: Geralmente, é similar a ineficiência e falta de produtividade . É comumente reação ao conflito oculto decorrente da negação e evitação dos fatos que lhe causaram insatisfações e para responder estas frustrações é comum que percam a energia e motivação prejudicando a empresa. 

e) retenção de informação: Em muitas culturas corporativas a informação significa “poder” e reter a informação é algo que exerce como uma forma de controle, consciente ou inconsciente para assegurar, mesmo que ilusoriamente, seu poder. 
Os dirigentes das empresas conscientes de tal fato, buscam respostas a eventuais dificuldades em lidar com os conflitos em suas organizações.

Geralmente, as respostas das empresas aos conflitos são:
a) De lutar, como instrumento de defesa através da arrogância ou entrar na disputa;
b) De escapar, também como instrumento de defesa através da negação (diz que não existe conflito); evitação (não quer falar sobre os assuntos que precisam ser resolvidos) e acomodação (que engloba os dois anteriores (negar + evitar), não querer enfrentar a mudança)

A Mediação de conflitos nas empresas( organizações ou corporativas) é um método moderno, eficiente, eficaz e rápido que pode responder os anseios dos dirigentes das organizações, transferindo a estrutura impositiva (competitiva) para a colaborativa
(cooperativa). 

Permite criar através de visão holística, sistemas próprios e internos que possibilitam seus integrantes agestão de conflitos de forma positiva, construtiva e diálogo colaborativo, aproximação dos integrantes da empresa(inclusão social), com ajuda dos terceiros mediadores, imparciais e independentes, visando promover a comunicação com qualidade, conteúdo e profundidade. Na mediação nas e entre empresas as reuniões podem ser feitas em conjunto ou separadamente(“caucus”), priorizando o reconhecimento de papeis a que cada participante deverá desempenhar na organização, para se quiserem, construção em conjunto de resolução de conflitos dentro de parâmetros mais pacíficos e equilibrados. 

Assim, graças a intervenção de equipe de mediadores capacitados, é possível haver resultado final satisfatório com a gestão positiva e construtiva do conflito, ensejando o crescimento da organização e diminuição de custos diretos e indiretos causados pelos conflitos quando administrados de forma negativa e destrutiva.

Na MEDIAÇÃO NAS EMPRESAS OU CORPORATIVA É UMA FERRAMENTA PARA OS NEGÓCIOS, aplica-se váriastécnicas, inclusive:
a) RECONHECIMENTO DOS PAPÉIS( existe conflitos de confusão de papeis , onde se misturam funções, sentimentos, competências, desejos e possibilidades reais e ilusórias), 

b) COMPREENSÃO DAS DIFICULDADES, 

c) RESPONSABILIZAÇÃO, 

d) CONSCIENTIZAÇÃO E ACEITAÇÃO DAS DIFERENÇAS, 

e) RESPEITO 

f) MELHORIA DA COMUNICAÇÃO ENTRE OS PARTICIPANTES,

g) CRIAR UM AMBIENTE COLABORATIVO, 

h) AUTOCONHECIMENTO das diversas relações existentes duradouras ou momentâneas na empresa através do SOCIOGRAMA consiste na descrição das distintas e inúmeras relações existentes entre todos os integrantes, ao lado do ORGANOGRAMA que facilita a identificação dos diversos níveis de atuação profissional.

Os mediadores empresariais ou corporativa, de diferentes áreas de atuação profissional(multidisciplinaridade), precisam possuir outros saberes e vivência para atuar nos conflitos empresariais.

A mediação empresarial ou corporativa existe maior possibilidade de utilização do modelo tradicional da escola de HARVARD que:

a) SEPARA AS PESSOAS DOS PROBLEMAS;
b) ENFOCA NOS INTERESSES E NÃO NAS POSIÇÕES ;
c) CRIA OPÇÕES PARA BENEFÍCIOS MÚTUOS ;
d) INSITINDO NOS CRITÉRIOS OBJETIVOS. 

Mas, como a empresa é feita de pessoas não deve ter uma rigidez para com o método de Harvard, pois dependendo a dinâmica do grupo mediado, é comum utilizar-se o método transformativo, MODELO FUNDAMENTADO NA TEORIA SISTÊMICA, desenvolvido por BUSH E FOLGER, que vê como êxito a TRANSFORMAÇÃO DAS PESSOAS no sentido do crescimento; REVALORIZAÇÃO PESSOAL E DO RECONHECIMENTO DA LEGITIMIDADE DO OUTRO.

É possível também a utilização do MODELO CIRCULAR-NARRATIVO, desenvolvido por SARA COBB E MARINES SOARES, em que a fundamentação se faz na comunicação e na causalidade circular., cuida-se dosvínculos e fomenta-se a reflexão, possibilitando a transformação da história conflitiva em uma história colaborativa.

A CLASSIFICAÇÃO da MEDIAÇÃO EMPRESARIAL é feita a partir dos conflitos:
a) COMERCIAL (contratos; formais; concorrência; capitais);
b) SOCIETÁRIA (abertas ou fechadas;dois ou mais sócios;componentes pessoais mais evidentes);
c) GOVERNANÇA CORPORATIVA (inside ou outside sistems; conselho de administração; conselheiros e CEO; conselheiros e acionistas)
d) ORGANIZACIONAL/CORPORATIVA (Para entender mediação empresarial é preciso saber o conceito deREDE- emaranhado de relações das quais os indivíduos constituem “nós”, com estrutura de auto-regulação.São sistemas que auto-reproduzem e o processo de mediação proporciona movimento para a rede eas pessoas e organizações na rede se comprometem a superar de maneira integrada seus conflitos)
e) FAMILIAR(formação: familia, propriedade, administração e funcionários e permeando: mercado, concorrência, governo, leis trabalhistas, parceiros) e mistura de papéis.
f) TERCEIRO SETOR(abarca as organizações(entidades organizadas) sem fins lucrativos, trabalha na sua maioria com voluntários).

MEDIAÇÃO ENTRE EMPRESAS, ou seja , entre duas ou mais pessoas jurídicas,traz a tona o questionamento da relação existente, ou de que está por vir , a equipe de mediadores ajudam a gerir os conflitos relacionados as QUESTÕES CULTURAIS MAL RESOLVIDAS e desatar os “nos” existentes e os que podem surgir durante as reuniões de mediação, no caso de uma FUSÃO ou aquisição, por exemplo.

ANTES DO PROCEDIMENTO;
a) Prevenção de disputas(coibir ou inibir ações judiciais);
b) Minuta de contrato da pré-mediação;
c) Contrato de mediação/Confidencialidade;
d) Assegurar participação de quem tem poder de decisão;
e) Presentes sempre os mesmos participantes.

DURANTE O PROCEDIMENTO:
a) REUNIÃO SEPARADAS- o mediador não será portador de propostas;
b) Assegurar que estão com as informações legais necessárias para decidir;
c) Oportunidade para decidir sobre a interrelação passada e deliberar sobre a nova relação futura.

PÓS PROCEDIMENTO:
a) CUMPRIMENTO ESPONTÂNEO (protagonismo em vez de expectadores dos conflitos);
b) Nova relação de negócios;
c) Novos contratos ;
d) Rompimento sem traumas ;
e) Acompanhamento

CARACTERISTICAS DA MEDIAÇÃO NAS E ENTRE EMPRESAS:
a) CELERIDADE economia de tempo e menor desgaste emocional e economia financeira evitando gastos com atos judiciais;
b) INFORMALIDADE e IMPARCIALIDADE DOS MEDIADORES;
c) Autonomia das vontades;
d) PROTAGONISMO construção em conjunto de regras que atendam à disponibilidade dos envolvidos e suas reais necessidades;
e) CONFIDENCIALIDADE;
f) EFETIVIDADE como a decisão dos conflitos é decidida pelos próprios envolvidos(protagonismo), sem opinião dos mediadores, os acordos são mais efetivos, espontaneamente cumpridos;
g) Exeqüibilidade (titulo executivo extrajudicial ou judicial);
h) Prevenção de reedição dos conflitos:

MEDIAÇÃO NAS E ENTRE EMPRESAS: Os mediadores lidam com as pessoas, suas posições e os aspectos subjetivos afloram e os mediadores precisam ACOLHER suas emoções e sentimentos (EMPATIA) e RESIGNIFICÁ-LOS e dar o devido VALOR, para posterior encaminhamento ao longo do procedimento. É uma ferramenta para os negócios para ser mais e mais utilizada, por ser mais uma forma de promover o diálogo pacífico e reduzir ambientes de disputa.